Programas que sustentam o funcionamento do Sistema Público de Saúde (SUS)

O sistema de informação de saúde do Brasil desenvolveu-se em conjunto com os principais movimentos na história da Saúde Pública desde o início do século XX século. Durante as primeiras seis décadas, à medida que os programas começavam e foram tomadas medidas específicas para resolver os problemas colectivos de saúde (desafios Posadas por doenças como febre amarela, malária, tuberculose, poliomielite, e sarampo), os sistemas de informação começaram a ser criados para satisfazer as necessidades específicas de estas iniciativas, cada uma com um foco e perspectiva limitada à área de programa para que foi criado. Para geri-lo é usado o CadSUS e o DataSUS. 

Em 1971, o núcleo de processamento de informação foi criado dentro do Ministério de saúde para apoiar a gestão das informações relacionadas com o Ministério atividades, a seguir ao sistema de informação sobre saúde (SIS) inaugurado em 1975, e um subsistema dedicado aos dados relativos à mortalidade resultantes da adoção de uma declaração de morte padronizada para todo o país.

Na última parte das décadas de 1970 e 1980, o Brasil passou por um período de excitação Política, despertar a consciência das necessidades, e compromisso com acordos de democratização e de reforma política e estrutural, que culminam em promulgação da atual Constituição Brasileira em 1988, que tem um capítulo especificamente dedicado à saúde. O movimento de reforma da saúde foi a principal força por trás destas dores Políticas de crescimento e do quadro no qual foram desenvolvidas orientações políticas para abordar várias questões, incluindo: informação a evolução dos sistemas de informação de saúde no Brasil tem acompanhado de perto as grandes transformações que ocorreram na estrutura, modelos de funcionamento, e mesmo os processos e mecanismos de gestão e acompanhamento criado a fim de passar de uma estrutura centralizada para a descentralização que é agora em posição. Foram criados numerosos sistemas e aplicações de informação. desenvolvido desde a década de 1970 para dar resposta às necessidades em mutação e em crescimento que emergiu da organização, do crescimento e da expansão das responsabilidades das agências responsável pela gestão dos sistemas nas três esferas de governo: federal,
estadual e municipal.

Assim, desde a sua criação, o sistema de Informação do Brasil tem estado em constante evolução e modernização tecnológica,
resultou em um alto grau de complexidade e variação entre os diferentes processo. Em 1990, com a introdução da reforma administrativa em todo o estado, a Segurança Social Administração Nacional de cuidados de saúde (INAMPS) foi transferida do Ministério da Previdência Social ao Ministério da Saúde. Como resultado, foi necessário para criar uma infra-estrutura de processamento de informação para gerir o Sistemas de controlo e de pagamento INAMPS já acordados e simultaneamente desenvolver novas aplicações para apoiar outras acções no domínio da saúde.

Data SUS

Em resposta à necessidade de melhorar a manipulação e tabulação de informação para avaliar a situação sanitária nas áreas em estudo,
DATASUS desenvolveu um programa que permitiu a tabulação de dados em um computador pessoal, permitindo assim ao utilizador delinear a morbilidade e a mortalidade perfil da população de clientes do SUS. TabWin permite ligar estes tabulações para uma base cartográfica e mostrar os resultados graficamente para uma avaliacao. Também permite a consulta de bases de dados relacionais e a criação de de arquivos DBF, e tem uma interface para executar rotinas de análise usando livre software estatístico que permite produzir séries históricas, estatísticas funções e visualização de informações através de gráficos e mapas, bem como importar dados em XML e exportar dados e mapas em vários formatos. O programa tem foi distribuído sem qualquer custo desde 1994, inicialmente para o ambiente DOS (TabDOS), e desde 1996, Para Windows

No Comments, Be The First!

Your email address will not be published.